BikeIt

Você já ouviu falar do BikeIt? Uma plataforma colaborativa criada pelo ColetivoCRU para avaliar locais para se ir de bicicleta. Surgiu em São Paulo em 2012 e no final do mesmo ano ganhou seu primeiro parceiro aqui em Curitiba. Vamos conversar um pouco com os idealizadores do projeto e com Oscar Riekes, o mais novo parceiro.

GTH: Como surgiu a ideia do BikeIt?
Sabrina Duran: O BikeIT! enquanto ideia surgiu há pelo menos um ano e meio, em agosto de 2011, e nasceu da necessidade de encontrar lugares aonde pudessemos ir e estacionar a bike com conforto e segurança. Nao apenas lugares para lazer, mas lugares que fazem parte da nossa rotina de trabalho, como repartições publicas, bancos, supermercados, farmácias, hospitais, etc. O bikeit foi inspirado em um site de reviews chamado Yelp, que existe em diversos países. Na epoca em que foi criado no papel, o bikeit ainda nao tinha nome e a ideia nem tinha braços suficientes para sair do papel. Em setembro de 2011 nasceu o coletivo cru, e entre as pessoas do coletivo foram encontrados os braços e cérebros que finalmente fizeram o site sair do papel e virar realidade.

GTH: Quando o site entrou no ar?
SD: O site entrou no ar em julho/agosto de 2012. Foi uma estreia interessante porque “inauguramos” o site inscrevendo-o no Festival de Ideias – um festival nacional destinado a premiar ideias inovadoras e com grande impacto social. O bikeit foi um dos projetos selecionados no festival, e ganhou um investimento de 5 mil reais para serem utilizados no aperfeiçoamento de sua plataforma.
 
GTH: Como foi a recepção das pessoas?
SD: Foi excelente! Assim que o site foi ao ar, começamos a receber emails de pessoas querendo contribuir e enviando avaliações. Além disso, recebíamos tambem (e até hoje recebemos) muitas mensagens dizendo algo como: “Finalmente lançaram uma ferramenta com esse objetivo. Sempre quis ter acesso a algo assim”. Isso nos faz perceber que existe uma demanda enorme pela ferramenta que é o BikeIt. 

GTH: E como tem sido a evolução até hoje?
SD: Muito rápida. Em pouco tempo de existência recebemos diversas sugestões de usuários e também de profissionais de diversas áreas que durante as reuniões de co-criação do Festival de Ideias, nos questionaram e nos ajudaram a aperfeiçoar inúmeras funções do site.

GTH: Vocês receberam muitas propostas de outras cidades? Por que Curitiba?
SD: Sim, recebemos propostas de recife, ribeirão preto, salvador, belo horizonte e rio de janeiro. Sobre por que Curitiba acho que a Luiza Peixe pode explicar melhor, pois foi ela quem esteve em contato com o Oscar.
Luiza Peixe: O Oscar foi uma das várias pessoas que entraram em contato com o coletivoCRU pra implementar o BikeIT em suas cidades. Sempre respondemos basicamente a mesma coisa pra todas as pessoas: “Oi! Que ótimo!! O site é justamente para ser replicado! Você acha que consegue montar uma equipe de atualização aí?”. Enquanto isso, fuçávamos no editor do worpress tentando descobrir como habilitar a função de multi-site. O Oscar, diferente dos outros interessados, manteve um contato mais próximo, sempre perguntando sobre a evolução da ferramenta. Quando descobrimos como fazer, entramos em contato com o Oscar para ensinar o painel admnistrativo e manual de atualização, testando se seria viável criar logins pros colaboradores de outras cidades. Ele sempre se mostrou muito interessado e empolgado em moderar o BikeIT, e foi usado de cobaia… (risos)

Oscar Riekes

GTH: Vamos falar um pouco com o Oscar então. Como você tomou conhecimento do BikeIt?
Oscar Riekes: Tomei conhecimento do BikeIt através da internet, li um artigo e achei muito interessante a iniciativa.

GTH: Conte o que é o BikeIt para você?
OR: BikeIt para mim, é um incentivo a mais para pedalar, imagino que ajude em muito as pessoas no seu deslocamento diario também, quem pedala pode ir aos locais e saber que sua bicicleta estará em segurança.

GTH: Por que você quis participar do projeto?
OR: Porque aqui em Curitiba, esta crescendo muito o número de usuários que utilizam a bicicleta cotidianamente, então achei interessante proporcionar a elas esse serviço.

GTH: Como foi o processo de negociação para sua entrada?
OR: Super tranquilo, mantive contato com Sabrina Duran e a Luiza Peixe. Aos poucos fomos acertando a minha participação.

GTH: Quando foi implantado o BikeIt Curitiba?
OR: Começamos aqui em Novembro de 2012, foi nosso primeiro “post”.

GTH: E como está indo o BikeIt Curitiba?
OR: Ainda é uma novidade, as pessoas não tem o hábito de enviar posts, mas acredito que gradualmente isso terá um crescimento.

GTH: De que forma é possível ajudar o BikeIt?
OR: Enviando posts, seja para recomendar ou não um estabelecimento que tenham visitado.

GTH: Que diferença você acha que o BikeIt pode fazer para uma cidade como Curitiba?
OR: Penso que as pessoas que andam de bicicleta vão começar a utilizar o serviço toda vez que queiram escolher seu destino, seja para fazer compras, seja para sair com amigos.Quanto aos comerciantes em geral, podem e devem acolher de forma adequada os ciclistas e começar a cativar novos clientes.

GTH: O que você acha da ciclomobilidade em Curitiba hoje?
OR: Tem melhorado muito, as cobranças têm sido fortes, por melhorias, o nosso atual prefeito foi a sua posse de bicicleta, tem se mostrado bastante receptivo em relação às nossas reivindicações.
 
GTH: Você gostaria de dizer algo mais para as pessoas?
OR: Andem mais de bicicleta, vejam a cidade de uma forma diferente. Utilizem o BikeIt para saberem onde serão bem recebidos, participem nos mandando posts, vamos fazer uma cidade melhor, sem o estresse do trânsito. Não deixe de pedalar, utilize a bicicleta cada vez mais, vamos fazer da bicicleta uma opção de vida. Faça passeios, viagens, reúna seus amigos e aproveite a vida.

GTH: Quais os planos do BikeIt daqui para frente?
SD: Estamos nos preparando agora para criar a plataforma definitiva do site, o que o tornará independente de administração, com o usuário tendo total participação nas postagens – atualmente, os usuários nos enviam as reviews e nós, com nossas senhas de administradores, postamos cada uma delas. Quando a plataforma final estiver pronta, bastará o usuário fazer um breve cadastro no site para ter um único login e senha para todas as postagens. Fora isso, os critérios de avaliação serão mais objetivos e práticos, as categorias de estabelecimentos serão aperfeiçoadas e os avaliadores também serão avaliados por outros usuários, que poderão dar notas à avaliação postada, fazendo com que os avaliadores tenham mais ou menos crédito na comunidade que utiliza a ferramenta. Nossa ideia é que o site se torne uma ferramenta usada em conjunto pelas pessoas com o interesse de ajudar os outros, e que sua eficácia e honestidade sejam garantidos pelo empenho que os ciclistas têm em ajudar outros ciclistas a se deslocarem melhor pela cidade. Além da plataforma final, teremos também um aplicativo do bikeit para celulares. Tudo isso já está sendo estudado. Depois do carnaval devemos começar uma campanha de financiamento coletivo para bancar os custos desse projeto. 

GTH: Existem planos para agregar outros serviços como cadastros de pessoas interessadas em oferecer ajuda aos iniciantes e vice versa, uma espécie de cadastro de bike anjo?
LP: Sobre o esquema com os bike anjos, sempre conversamos sobre a possibilidade de agregar funções.. Por enquanto, não conseguimos incluir mapeamento de rotas no mapa, mas estamos estudando as possibilidades. É provável que seja desenvolvido um novo site de mapeamento pros BikeAnjos, independente do BikeIT, assim que alcançarmos a tecnologia de mapeamento de rotas. Digo o mesmo sobre o projeto Bicyclop, que registra em vídeo pedaladas por trechos específicos, avaliando a condição das ruas e atitude dos motoristas e pedestres. Pensamos em, futuramente, desenvolver uma plataforma cartográfica por projeto, cada uma com sua especificidade técnica e compartilhar os bancos de dados, facilitando o acesso à pessoas interessadas em fazer pesquisas, estatísticas, infográficos… Informativos quaisquer.

GTH: Quantas pessoas fazem parte da equipe idealizadora do BikeIt?
SD: Todas as pessoas que participam do coletivoCRU são, de alguma forma, responsáveis pela manutenção do Bikeit. ao todo, são 6 pessoas: Fernanda Machado, Fernanda Krajuska, Josiane Mozer, Luiza Peixe, Thomas Wang e eu. 

GTH: Qual transporte elas usam no dia a dia?
SD: Uso bike (dobrável) combinada ao transporte público (onibus ou metrô).
LP: Bicicleta, basicamente.
Fernanda Machado: Procuro me locomover somente de bike, se a distância for muita acabo indo de ônibus e/ou metrô.
OR: Utilizo bastante a bicicleta e o ônibus, mas ainda não consegui fazer isso 100%.

GTH: Como é a rotina de deslocamento? Quantos quilômetros? Quais regiões da cidade? Onde estacionam?
SD: Em geral, me desloco poucos quilômetros por dia quando não tenho que trabalhar fora de casa (cerca de 10, 12km em bike). Quando preciso sair (em geral pela zona oeste da cidade) uso ônibus e bicicleta, algo em torno de 30 a 35km.
LP: Vou todos os dias da Praça Roosevelt, no centro, pro bairro da Barra Funda. Mas é perto, cerca de 8km por dia. Eventualmente pedalo mais aos fins de semana. Minha bike é meio colorida e chamativa demais, por isso investi em uma tranca bem eficiente para prendê-la na rua, mesmo assim, evito deixar a bike em lugares suspeitos por muito tempo.
FM: Faço da minha resposta a mesma da Sabrina, num geral, 10 a 12km qdo preciso sair de casa. E costumo ir para as zonas centro, centro-sul e oeste.
OR: Varia muito, mas chego a fazer uma média de 30km/dia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *