Por que meu filho anda numa bicicleta de equilíbrio

Eu não quero que meu filho aprenda maus hábitos ao pedalar – rodinhas dão uma falsa sensação de segurança e encorajam uma inclinação excessiva.

Eu tinha cerca de seis anos e ainda usava tranças quando olhei por cima do meu ombro e percebi que meu pai não estava segurando a parte de trás da minha bicicleta e eu estava andando sem estabilizadores pela primeira vez. Eu estava exultante – assim como minha irmã mais velha – que eu poderia andar de bicicleta sozinha! Então, com toda a alegria daquele momento, pode parecer estranho que eu escolhi que o meu filho não experimentasse a felicidade e liberdade de se libertar das rodinhas e pedalar sozinho. Por quê? Porque ele nunca vai andar de bicicleta com rodinhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Apesar de eu perceber que ele pode parecer muito impressionante no parque ao pedalar e conduzir uma bicicleta com rodinhas – e eu poderia ter um momento de mamãe coruja com uma foto no Facebook – Estou aprendendo, como em todos os aspectos da criação dos filhos, que não é sobre mim e não é sobre o aqui e agora: trata-se de fazer boas escolhas para o futuro.

Dessa forma, por enquanto, meu filho só vai andar com a bicicleta de equilíbrio, sem pedais, pneus gordinhos e apenas um freio. Agora, antes que você pense que isso é algum novo design de moda criados na última década para persuadir pais abusados a gastar mais, você pode dar uma olhada na “máquina de correr” que o Barão Karl von Drais inventou em 1817. O precursor da bicicleta moderna, era essencialmente uma bicicleta de equilíbrio para os adultos.

Pode parecer para os outros pais que eu estou limitando meu filho, muitos deles perguntam quando ele vai ter uma bicicleta com pedais. Como alguém que trabalha no mundo do ciclismo, é claro que eu quero que ele seja capaz de andar de bicicleta e que adore andar de bicicleta, tanto quanto eu, mas eu não quero ser um pai que força a barra. Ele vê a mamãe e o papai pedalando, e anda na cadeirinha da bicicleta desde bem pequeno, por isso, compreensivelmente, agora ele quer uma bicicleta própria.

As razões pelas quais eu não compro uma bicicleta de rodinha são bastante simples: eu não quero que o meu filho aprenda hábitos ruins de ciclismo com essa idade. Rodinhas, na minha opinião – e a maioria dos ciclo-instrutores concordam – podem dar uma falsa sensação de segurança e incentivar a inclinação excessiva que leva à crença de que a criança pode pedalar o mais rápido possível, virar o guidão de forma brusca e ficar em pé – mas se o chão é ligeiramente irregular, eles não vão conseguir. Além disso, eu sei que se ele aprende a andar com rodinhas, ele tem que aprender a se equilibrar mais tarde – e eu prefiro que ele aprenda essa parte agora.

Usando uma bicicleta de equilíbrio ensina uma criança que é a inclinação e o posicionamento do corpo que dá direção a bicicleta, e que o guidão está lá para ajudar no processo. Ele estimula a criança a pensar um pouco mais sobre o movimento e peso e como isso afeta a bicicleta. Mais cedo ou mais tarde, isso vai se tornar instintivo para o meu filho: Eu sei muito bem da mountain bike que eu muitas vezes me esforço para lembrar de me inclinar da maneira correta.

Uma bicicleta de equilíbrio não é super rápida, mas é divertida, e usa alguns dos mesmos princípios que um patinete. Em apenas alguns passeios no parque, meu filho começou andando com a bicicleta, apenas irritantemente tocando a campainha, e agora já solta o peso no selim dando impulso com os dois pés. À medida que sua confiança aumenta, aumenta também sua tendência em levantar os dois pés no ar em ladeiras suaves. Agora, ele gosta de ir tão rápido quanto ele pode – sem cair, e estamos trabalhando em ficar olhando para frente e frenagem.

Agora que ele teve bastante prática com freios e paradas, é hora de ensiná-lo a andar de bicicleta com pedais, e portanto podemos pular toda a fase de “coloca rodinha” e “tira rodinha”. Eu sei que pode ser bastante frustrante tentar descobrir como ensinar o seu filho a andar de bicicleta, mas dividi-lo em diferentes elementos significa permitir um progresso no ritmo da criança, apenas praticando uma coisa de cada vez. O objetivo não deve ser apenas torná-los independentes o mais rápido possível – deve ser divertido e propiciar um aprendizado consistente.

Se você está pensando em comprar uma bicicleta de equilíbrio, arranje uma bem leve, pois você provavelmente vai acabar carregando-a algumas vezes, especialmente em momentos de birra. Também certifique-se que seu filho consegue puxar a alavanca do freio, como muitas não são projetados para mãos de crianças pequenas – são efetivamente inúteis.

Uma criança que já consegue andar e correr, a partir de dois anos pode começar a brincar com uma bicicleta de equilíbrio. Assim como a compra de qualquer bicicleta, escolha uma que é do tamanho adequado e de qualidade – uma bicicleta de equilíbrio de qualidade pode ser passada para um irmão mais novo ou vendida por cerca de 60% do preço original. Um modelo barato que tem pneus com espuma vai muito rapidamente para o lixo.

Para o bem da saúde das crianças, do planeta e de nossas estradas congestionadas, uma coisa é certa: no Reino Unido, é preciso que todas as nossas crianças desenvolvam o hábito de andar de bicicleta, e quanto mais cedo aprenderem, mais confiantes e seguras vão ser.

Publicado originalmente em The Guardian no dia 24 de outubro de 2014 por Victoria Hazael que tem dois filhos e trabalha para CTC, organização nacional de promoção de ciclomobilidade no Reino Unido.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *